sexta-feira, junho 21, 2024
InícioRondôniaOs governadores de Rondônia e os prefeitos de Porto Velho tem sido...

Os governadores de Rondônia e os prefeitos de Porto Velho tem sido impiedosos

Muitos a prender

Em vários estados continuam a ser presos os implicados nos atos golpistas de 8 de janeiro de 2023. Foi fácil identificá-los pelas redes sociais: eles próprios se autodenunciaram mostrando orgulho “patriótico” por destruir e emporcalhar patrimônio público e se insurgir contra as instituições da República.

Sabe-se que a seca desse mesmo ano, que instaurou o caos na região Norte, e as recentes enchentes destrutivas no Sul se enquadram no mesmo rol de eventos climáticos extremos. No entanto, não será possível prender e condenar os responsáveis por uma situação que vem se agravando desde a década de 1940, mesmo ficando claro, na história e na geografia, que a devastação na Amazônia se intensificou ao mesmo tempo em que os fenômenos extremos de chuvas no Sul.

As enchentes de 1941 no RS desapareceram da memória nacional no mesmo ritmo em que autoridades e empresas manifestavam orgulho pelo progresso iniciado nessa época no Norte do país. Mais que um acaso, justamente em 1941 a ditadura Vargas criou o Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP) para louvar as ações dos governantes como patrióticas e progressistas. Deveriam ser responsabilizados aqueles que nos últimos 80 anos não adotaram medidas preventivas, cortaram ou desviaram verbas para a prevenção. Mas seria muita gente para prender, sem contar que alguns teriam que prender a si mesmos.

……………………………………………………………………………………

Sem dó…

Os governadores de Rondônia e os prefeitos de Porto Velho tem sido impiedosos através dos tempos com a infidelidade dos deputados estaduais (no caso do Executivo estadual) e dos vereadores quando se trata da municipalidade. Portanto, quando os legisladores não forem obedientes, serão tratados a pão de água. Quando surge um parlamentar rebelde, no meio das ovelhas e avestruzes, logo começa a sofrer sanções, desde a demissão de cargos comissionados de parentes e apaniguados, seja nos atendimentos de reivindicações diversas e até padecem com a morosidade na liberação de recursos das emendas parlamentares.

…Nem piedade!

Diante das ameaças palacianas estaduais e municipais, de cortes no pix, interrupção nos “vales” em Rondônia o problema é que alguns deputados e vereadores exageram na subserviência e muitas vezes sequer leem os projetos emanados do Poder Executivo. No plano federal a coisa não é muito diferente, mas pelo menos os mais atentos leem as matérias emanadas do Palácio do Planalto e alguns fingem ser oposicionistas para jogar para a plateia. Tanto capachismo paroquial tem sido punido nas urnas: nos últimos pleitos a renovação das casas legislativas tem sido enorme em Rondônia

É coisa de louco!

Os deputados estaduais do Amazonas, Acre, Rondônia, Roraima e do Pará não conseguem resolver nem os problemas amazônicos por aqui, como do caos aéreo, escalpelamento das mulheres nas embarcações, da pirataria e terras caídas nos rios Negro, Amazonas, Tapajós e Madeira, mas resolveram discutir as questões amazônicas em Brasília, num tal de Parlamento Amazônico. Ora, não resolvem nada por aqui e não vão resolver nada por lá também. Os políticos da região, como se vê, comem pão dormido e rotam caviar. E tudo isto com a saúde e a segurança pública dos seus estados em colapso.   

Um desafio

Alguns novatos que se lançam ao desafio das eleições municipais em Porto Velho, miram na verdade se tornar vices ou disputar a Assembleia Legislativa e Câmara dos Deputados em 2026. Mas quantos deles vão se dar bem nas urnas? Temos novatos para todos os gostos. A esquerda, com Samuel Costa (Rede), Célio Lopes (PDT), Vinicius Miguel (PSB), a centro esquerda com a juíza Euma Tourinho (MDB) e Benê Alves (Solidariedade), a direita com Ricardo Frota (Novo), mais recentemente Jayme Gazola (PL), entre outros. São pequenos Davids jogados na arena aos leões e aos  “golias” Mariana (União Brasil) e Leo Moraes (Podemos). Baita desafio.

Palavra de ordem

Rola nos bastidores políticos em Porto Velho que viria uma ordem de cima, ou seja, do Palácio do Planalto e das instâncias superiores da Federação Brasil Esperança (PT, PC do B e Partido Verde), do PSB do vice-presidente Geraldo Alckmin e de outras legendas de esquerda para se unirem e numa frente ampla para enfrentar o bolsonarismo vigente na capital rondoniense. A esquerda na terrinha só se unifica na marra, já que as fogueiras de vaidades sempre falam mais alto. O divisionismo do segmento tem sido um baita problema em eleições anteriores.

Via Direta

***Impressiona como os políticos rondonienses estão lançando parentes nas eleições municipais deste ano. Todo mundo buscando mamatas ***Em Vilhena, os Donadons estão lançando uma candidata a prefeita e em Porto Velho um postulante a vereador ***O deputado estadual  Neiva projetando o filho Wiveslando a prefeito em Cerejeiras *** Em Porto Velho, deputados estaduais lançando irmãos, esposas e cunhados a vereança *** Em Ariquemes o deputado Alex Redano impulsionando a reeleição da esposa Carla Redano a prefeitura local. Haja parentes, haja clãs políticos em formação para todos os lados.

 

 

 

Por Coluna Carlos Sperança 

Conteúdo Gente de Opinião

- Publicidade -spot_img

Siga nossas Redes

Últimas Notícias

- Publicidade -spot_img
spot_img

Notícias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui